quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Talvez até logo.


Você já parou para pensar nisto tudo? quero dizer no por que das coisas? as vezes eu me sinto uma porta, onde as pessoas entram e sai o tempo todo, minha vida sempre foi assim, mais hoje eu não irei reclamar ok?! é estranho um corpo calejado, uma mente com muitas duvidas, um coração, é ainda o tenho tá aqui, eu me vejo daqui a 10 anos na mesma situações devemos aceitar pro que viemos e algumas pessoas vinheram pra isto? ( me pergunto )

Eu queria que alguém desvendasse todos os meus mistérios, deixo a porta entre aberta à sua espera, eu queria me ver por fora, me analisar, mais eu não consigo nada, penso está perto mais não estou, eu queria que as pessoas ao redor soubessem mais um pouco sobre mim, no que eu penso e no que eu acredito, mais eu fujo antes da hora deixando assim tudo por fazer, seria eu o cavalo que fugiu antes de ser domado, fúria dos meus sentimentos.

(aqui jaz um sentimento)

Eu tive todo tempo do mundo pra te mostrar meu pequeno mundo, você por sua vez sempre tão ocupado em suas próprias aspirações, me sentia menosprezado e agora? que não há mais nada? meus sentimentos só duram o tempo bastante quando são alimentados regularmente, como uma planta que precisa ser regada, esta por sua vez secou... é estranho quando sua presença já não causa nenhum espanto aos meus sentidos, eu não estou me reconhecendo.

É estranho quando suas ligações já não me causam aquela euforia de antes nem os seus "eu te amo" atrasados no nosso compasso, já não me trazem alegria ao dia, parto pro meu ponto de início, eu não quero desistir de você, que coisa louca, o quero, mais não sinto mais nada, estou petrificando? ou só me acostumei com a sua frieza posta em doses omeopaticas dentro do teu olhar, agora não há mais olhar, agora teria voz, teria letras, sua voz é raro som em meus ouvidos, eu espero e não escuto, suas poucas frases batidas em sms's o percurso que já conheço, ouça pois não estou dizendo adeus, mais uma vez digo a porta está entre aberta, estou te dando outra chance de me reconhecer dentro de mim, me conquiste outra vez quem sabe, você já fez isso antes e eu não desistirei de você hoje, corra enquanto a tempo, entre e se acomode aqui dentro de mim.

2 comentários:

Kivia Nascentes disse...

É o tempo que passa e todas as coisas que vão tendendo a normalidade. E nós, poucos mais sensíveis ao amor, aos sentimentos esperamos por essa loucura e uma força descomunal que nos faça querer de novo sentirmos vivos. E a falta dessa vivacidade do outro lado vai deixando que algo adormeça dentro de nós, virando um ciclo interminável, prolongando o cansaço de ambos os lado até o inevitável fim.

Gostei do blog.
abraços.

Bruno Dezinho disse...

Tão humano esse texto, tão gostoso de se ler. Esses conflitos pelos quais passamos fazem parte da nossa condição. É preciso muito equilíbrio pra sair deles de uma maneira positiva. Cada vez descubro alguém mais sesível em você, e isso é bom. Boa sorte na sua caminhada.