quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Eu te amo.

Eu realmente te amo, nos seus defeitos,
quando me irrita, quando não faz do modo que eu quero,
quando eu digo que não quero mais, eu amo.

e quando eu penso que já nem sinto nada,
eu sinto tudo, sinto a falta e o medo
de perder, quando eu imagino o futuro sem você,
eu só me engano não há escapatória
a não ser me imaginar contigo.

Eu tenho uma mente confusa e que
muitas vezes me trai, me obriga a acreditar no que não vejo
imaginações e falsas realidades,
Essa minha falta de segurança,
esse meu medo demasiado...

tudo isto se resume ao fato de te amar,
te digo pois, sinto que não posso conter isto dentro de mim
queria gritar, por pra fora de algum modo
te devorar, te prender em uma jaula
doença minha, o meu modo louco de amar.

Saiba que estarei sempre aqui,
não posso te prometer amor eterno,
mais hoje eu sou seu para sempre,
não posso prever o futuro
mais imagino (espero e anseio) nós dois juntos até lá,
(...)E que o tempo que passa por nós não quebre esse elo jamais.

1 comentários:

Diih M. disse...

Cê escreve muiito!
Gostei do seu blog.

Abraço.