terça-feira, 7 de setembro de 2010

Assim por se fazer.

Luz, um céu estrelado, uma noite longa, pensamentos, eu sinto que faço parte de tantas coisas, raramente eu me sinto assim em conexão com tudo ao mesmo tempo, isso diz respeito a quem eu realmente sou, olhando por várias horas a fogueira a beira da água, sentindo a brisa da manhã, intacto em sintonia com um outro plano astral, eu sei que eu sou o desconhecido refletido através disto, eu sei que eu me reconheço em lugares inusitados e simples, e assim eu consigo me purificar de todo o lado podre dentro de mim, café quente as cinco e meia da manhã, canto de pássaros, brisa leve sobre a pele, olhos inundados por uma visão de natureza, águas cristalinas, eu sei que muito de mim foi modificado por fatores externos, eu sei que muito de mim está intacto e guardado em um lugar secreto, eu sei que muito pouco todos deixam aparecer por fora, eu tento o equilíbiro o espelho do interno com o exterior, caminho com calma, não porque pressa seja inimiga da perfeição, longe disto! eu quero distancia de qualquer perfeição existente, eu quero calma porque os caminhos devem ser seguidos com cuidado e atenção, me aceito em todos meus defeitos, são eles que deram origem a tudo que sou, até a minha força de mudar alguns deles, a beleza está nos pequenos detalhes de tudo, na magnitude de ser apenas um grão de areia, na plenitude de seguir esta missão na vida, ainda sem saber caminhos, me entregando em todas as curvas da estrada, me empenhando para entender o que não há justificativa que defina, ser é ser, apenas, surpreendo-me, faço o que precisa ser feito, eu sei pouco de mim, mais sei que sou sem definições, assim como nínguem conseguiu explicar tudo sobre este lugar, eu não saberia explcar tudo sobre mim.

1 comentários:

@adriano_mariano disse...

"... me aceito em todos meus defeitos, são eles que deram origem a tudo que sou, até a minha força de mudar alguns deles, a beleza está nos pequenos detalhes de tudo, na magnitude de ser apenas um grão de areia, na plenitude de seguir esta missão na vida, ainda sem saber caminhos..."

Uma vez ouvi que o Dom da filosofia só se é dado aqueles que se permitem admirar-se com as coisas simples da vida, das coisas.

Gostei do seu blog, e só agora tive tempo de comentar! rs.
Abraço.