sábado, 26 de junho de 2010

sexta, tarde, nós.

Como poderia descrever essa sensação?

Tua pele se entrelaça na minha, corpos, suor, sussurros
you have to be all my mine...
entrega de momentos...

Sensação em momentos,
nossos momentos,
teu silêncio...

o final de junho se aproxima
e com julho vem tantas coisas
um aniversário que eu sei que meu presente será tirado de mim,
"despedidas" de idade e renovações
lá vou eu ( e lá vai você)
estaca zero.

Mais por um milésimo de segundos,
tudo vale tanto,
respiro,
eu poderia morrer em finais de tarde assim.
o dia termina com a sensação
de que dei tudo de mim
sabe?!
não faça interogações com o olhar
não faça promessas
após vinho.

sinto-me tragado,
hoje voltando na rua algo me chamou atenção,
a vida toda poderia se resumir a um momento
e se os nossos momentos batessem
faz algum sentindo?
como naquele momento em que todos os ponteiros do relógio
se acertam um sobre o outro,
então nossa vida seria resumida a esta tarde,
cheguei terra e você me fez agua
e juntos fomos fogo,
em breve seremos ar,
minhas teorias furadas
após o teu sexo.

não consigo não interligar tudo
início, meio, fim
onde estaremos
nesse enredo?
confundo as vezes parece início
as vezes eu sinto que estou delirando
me pergunto pra quem
posso recorrer
se está tudo ao acaso
eu sou o acaso
que se fez destino
estrada
tempo
fique certo
de que minha incertezas estão
prestes a desaparecer,
junto com o amargo da solidão
espio sua repiração
sincronizo no seu ritmo
faço uma melodia
e nela me embalo na noite
quando não posso mais tê-lo
quando não puder mais tê-lo.

3 comentários:

Marcelo R. Rezende disse...

AMEI essa poesia.
Linda, verdadeira e pulsante.
Gosto disso, gosto mesmo.

Cleyton Cabral disse...

"cheguei terra e você me fez agua
e juntos fomos fogo,
em breve seremos ar,
minhas teorias furadas
após o teu sexo."

Isso é lindo. Sua verdade também.

Lilah Costa disse...

Nossa, demais!