domingo, 11 de março de 2012

If we could.

Se eu pudesse te prender no meu abraço, tatuar seu corpo no meu então seríamos para sempre, mais nossos laços, sabemos que não se desfazem quando nós não estamos juntos existe uma interligação maior porque estamos sempre de baixo do mesmo céu, sob as mesmas estrelas cintilantes, é tudo tão simples ao seu lado, tudo é possível, sonhar não é apenas sonhar é quase viver o sonho quando estou contigo... Você diz que eu desisto fácil demais, não é que eu desista, eu jamais desistiria de algo que amo tanto, a minha insegurança as vezes borra toda essa tela que estamos pintando mas eu sei que por mais abstrato que o desenho possa parecer ele tem todo um sentido quando nos tocamos, e tudo faz sentido, e tudo se faz sentir, e ninguém vai entender quando eu digo adeus querendo dizer fica mais um pouco comigo?! Sina minha de me auto abandonar, talvez um dia eu pare de ceder tanto a estes impulsos suicidas, adquiro toda a paciência que eu nunca tive, toda segurança apenas com o toque da sua pele, seja sempre a força pulsante dentro das minhas alusões! outra vida talvez não fosse o suficiente para dar-te tudo aquilo que sinto, talvez nem se aproxime nem um pouco em comparação a toda vitalidade que você tem, me recarrego de fé em todos os quesitos contigo, uma fábrica louca de sonhos irreais, eu não consiguiria te definir em palavras, eu não consigo definir nada, é tudo pele, tato, eu poderia perder horas e horas falando disto, eu poderia perder toda minha vida te observando e talvez ainda não fosse o suficiente, talvez seja mal de canceriano rs, ou talvez você seja mesmo tudo isso que desde que te conheci me permiti senti, e por mais que eu fale isso se torna mais intrigante a cada palavra, realmente não sei bem dizer, mais eu sei que você faz qualquer lugar mais belo apenas por estar presente. Eu lamento por todas palavras que proferi como facas jogadas ao teu peito, isso tudo é um medo absurdo de não te ter mais, apesar de não fazer sentido machucar aquilo que dizemos amar tanto, mais é um modo meio íntimo e brutal de me defender de tudo aquilo que vejo em ti e que não posso obter pra mim, eu fico sempre com essa impressão rídicula de ser apenas o porto e você o navio, quando na verdade eu sei que esse navio sempre ancora por aqui, jamais devo me permitir a ter medo que o navio se perca, pois eu sei meu bem que você sabe bem o caminho de volta, deixemos tudo assim por se fazer então, deixemos as contas o trabalho e obrigações de lado, que hoje eu quero apenas ter você aqui comigo, mesmo que não seja fisicamente, você está aqui dentro em algum lugar secreto que eu criei e de onde jamais você partirá.

1 comentários:

H.T.David disse...

Parabéns pelo blog!
Depois dá uma olhada lá no meu:
http://portalrelex.blogspot.com/

Abraço!