domingo, 5 de junho de 2011

Devagar e com pressa.

Eu tenho 23 anos, e me sinto com 60, é certo que alguns gostos, sensações até me arriscaria em dizer que nem as emoções conseguem me proporcionar algum sentimento novo como antigamente, então eu ando só por andar roboticamente cumprimentando algumas faces, defeitos? a desses eu tenho vários, fui criado a partir de muitos, fui condicionado a achar que o errado era o certo, agora que descobri o certo dentro do que se pode dizer de certo me sinto mais seguro, mais essa pseudo segurança está me matando aos poucos, acordei tentando ser mais positivo mais fica difícil quando você rema contra a maré, tento modificar o percurso, tento por aquele sorriso amarelo no rosto, nada adianta, não há sorriso amarelo do meu tamanho ele sempre cai mal, entre o café e o cigarro, de assalto algumas coisas vinheram bem a calhar neste fim de semana, descobri que minha paciência para com as pessoas só me faz bem, nunca descarto ninguém da minha vida estão todos aqui eles entram e saem quando querem, eu sou simples quando eles vão ver isto?! sentado por horas pensando como reverter a situação atual em alguns aspectos, no mais o mundo continua a girar intensamente sem se preocupar com quem está vivendo ou enrolando como eu, rs rir no pânico, rir no desespero leve e casual que sinto sob meus dias, eu gosto de observar a passagem do tempo lentamente, se bem que só percebo-a melhor no nascer do sol fico maravilhado nesta hora do dia é incrível ver como ele rapidamente surge e rapidinho já está la no meio do céu, e quantos dias serão necessário para que eu acorde de vez?! e quanto eu devo deixar isso tomar meu tempo, toma-se por si só, não vejo motivo ou significado em nada nesta vida, e talvez nem na próxima já que acredito no aqui e no agora, o que se contradiz com a minha paciência, a espera mata o gosto natural que certas coisas teriam se acontecessem naquele exato momento, por isso acho que me tornei um degustador de sensações mortas, comer tudo frio já não sacia mais, eu sei que amnhã talvez eu acorde e continue sendo essa pessoa de hoje ou talvez não, quem sabe eu não acordarei uma pessoa que vai correr atraz de sensações vivas?! quem sabe, de repente agente muda sem nem ver, quando percebe já nao se é mais o mesmo, nem a idade já não é a mesma, nem os amigos, nem a vida.

2 comentários:

Judy disse...

Parecidas com sensações que me aparecem... sinto-me velha tantas vezes...
ótimo texto, como sempre.

Passa la no blog... =)

Abraços!!

Blackassia disse...

Somos dois velhinhos rsrsrs
Que coisa tristeee!